Este website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação e aumentar a usabilidade do mesmo.
Para aceitar o uso de cookies basta continuar a navegar no website. Para mais informação clique aqui.

Notícias

V Encontro regional de Associações de Pais "Educação 4.0"

Realizou-se dias 5 e 6 de Abril na vila de Arruda dos Vinhos o V Encontro Regional de Associações dfe Pais.

Com mais de 70 inscrições este encontro reuniu Associações de Pais das regiões do Oeste, Lezíria Tejo, Lezíria Médio Tejo representantes de um grupo de mais de 25 Municipios e 44 Associações de Pais.

Tendo como mote a "EDUCAÇÃO 4.0", um tema que irá ter um grande impacto tanto no nosso quotidiano como na vida Escolar dos nossos educandos, foram abordadas pelos oradores a Inteligência Artificial como "Educação nos tempo das máquinas cognitivas"; a necessidade imperativa das Escolas criarem condições para o desenvolvimento de competências digitais de alto nível justificada por um mundo moldado pela transformação digital (alimentado por processos de Inteligência Artificial) e onde o mundo analógico se funde com o digital; a necessidade (urgente) dos sistemas educativos se adaptarem a novas realidades; a análise de BIG DATA inserida na educação e os novos processos e métodos proporcionados por esta nova forma de olhar  o mundo.

Os assuntos abordados foram interrompidos por um momento musical interpretado pelos alunos das escolas da região, que, como todo o resto dos trabalhos, permitiu a ligação entre Pais, educandos e docentes.

Jorge Ascensão, presidente do CE da CONFAP, participou nos dois dias de trabalhos tendo no encerramento reflectido na necessidade de dar continuidade ao trabalho desenvolvido no encontro e potencia-lo com a criação de uma Federação para melhor se concertarem ideias, concretizar projetos e partilhar boas práticas, evoluindo desta forma o envolvimento de todos no desenvolvimento de uma Educação que responda às expectativas das crianças, dos jovens e das suas famílias.

Referiu ainda que em conjunto somos mais fortes e mais capazes de dignificar a nossa participação, pois o reconhecimento do nosso trabalho tem que começar em nós próprios.

"Como exigir que os nossos parceiros e as famílias respeitem o trabalho que desenvolvemos se muitas vezes nem nós o sabemos fazer?"

É necessário comunicar, partilhar e criar união, pois através das nossas diferenças podemos marcar a diferença, distinguindo-nos pelo que somos e pelo que fazemos por todas as crianças e jovens.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Data: 06 - 04 - 2019
Facebook Linkedin Twitter Google + Pinterest