O Movimento Associativo Parental está solidário com o povo ucraniano

Os tempos de incerteza provocados pela pandemia que está agora a ser ultrapassada, são agora agravados pelo drama de uma guerra sem sentido, por uma agressão gratuita de um país europeu, cujo líder demonstra uma índole ditatorial, contra outro país europeu independente. 

A solidariedade para com a Ucrânia, e em especial para com a vasta comunidade ucraniana residente em Portugal, tem de ser um compromisso de todos face a este ato hediondo da Federação Russa, com contornos que não se verificavam desde a 2ª Guerra Mundial. 

Sabemos que a comunidade ucraniana no nosso país é vasta e que, neste momento, passará momentos de grande apreensão e angústia pelos seus familiares que ainda se encontram no país natal, procurando, com certeza, tentar resgatá-los, procurando enviar o que lhes falta, recebendo os que conseguiram sair e refugiar-se no nosso país, muitas destas famílias com crianças. A CONFAP e o MAP em geral nunca se negaram a assumir as suas responsabilidades sociais ao longo das últimas décadas, em particular no âmbito da Educação, na defesa intransigente do superior interesse das crianças, dos adolescentes e dos jovens.

Neste momento, tão crítico para a humanidade, estamos, como é nosso apanágio, interventivos no auxílio à comunidade ucraniana com a aquisição e recolha de bens. Muitas das nossas associadas estão já a empreender neste auxílio, mas queremos convocar todas a juntarem-se numa verdadeira “onda nacional” de solidariedade para suprir as necessidades da população ucraniana e de todos os refugiados que a guerra tem provocado. Existem diversas entidades, nomeadamente escolas, nos vários concelhos do nosso país que estão a recolher bens e todos podemos apoiar com informação e/ou disponibilidade para ajudar a encontrar esses centros de recolha ou mesmo recolher para entregar a quem pode fazer chegar ao destino. Com o nosso trabalho em rede, que nos carateriza, não só ajudaremos a suprir algumas necessidades prementes do povo ucraniano, em particular das crianças e mulheres que tiveram de deixar os seus pais e maridos para trás, como estaremos a enviar uma mensagem firme ao mundo de que repudiamos este tipo de agressões desumanas.

Tanta fome, tanto sofrimento natural, tanto que o mundo precisa para uma humanidade saudável, que é inaceitável que haja líderes a desperdiçar os recursos do planeta para provocar mais sofrimento em vez de o sarar. Uma loucura desmedida sem qualquer necessidade, apenas pela ganância e pelo controlo do poder.

Em mais um momento de tragédia, façamos o que sabemos fazer bem, trabalhar em conjunto e para o próximo em nome da felicidade e do bem-estar social.

Deixamos aqui também o convite para que partilhem com a CONFAP (geral@confap.pt) o resultado das vossas ações para que todos possam ter uma noção concreta do que fazemos em prol das causas que abraçamos.

Contamos convosco. Ficamos ao dispor!

Juntos fazemos a diferença, a diferença que conta!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on print
Imprimir